Falando de Poluição

Poluição do ar

O dia 14 de agosto tem um significado importante para o meio ambiente, é o “Dia do Combate à Poluição”. A poluição do ar em grandes cidades é um sério problema de saúde pública, pois provoca na população doenças respiratórias como asma, bronquite e até mesmo câncer, levando à morte.

Mas nem tudo são más notícias. Sempre podemos comemorar criação do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve). De acordo com números divulgados tempos atrás, as emissões veiculares de CO2 foram reduzidas em 94% nos veículos novos. “Isso nos faz afirmar que conseguimos uma melhora substancial da qualidade do ar” nos últimos anos.

Poluição das águas

As doenças geradas pelo consumo de água contaminada matam em torno de 4 milhões de crianças por ano. A poluição das águas nas grandes aglomerações urbanas assume proporções catastróficas. Isso é fácil de entender: são as cidades que concentram, na grande parte dos países o maior número de pessoas e a maioria das industrias. Nas cidade, portanto há um elevado consumo de água e, consequentemente, uma infinidade de fontes poluidoras, tanto na forma de esgoto doméstico como de efluentes industriais.

Poluição dos oceanos

Segundo estimativas da Organização das Nações Unidas, ONU, cerca de 70% das substâncias químicas e resíduos, que contaminam os oceanos vem de atividades humanas na zona costeira. Os outros 30% vem de acidentes ou descargas feitas por navios, plataformas de petróleo e incineradores de alto mar. Todos os anos são despejadas pelo menos 6,5 milhões de toneladas de lixo nos oceanos, sem contar os navios de cargas tóxicas, que misteriosamente desaparecem ou voltam ao porto vazios, depois de serem recusados por vários países; ou as contínuas descargas de esgotos; ou vazamentos não noticiados; ou naufrágios de submarinos nucleares e assim por diante.

Os oceanos são imensos e parecem capazes de absorver tudo isso. Mas não são infinitos. O lixo e as descargas biológicas e tóxicas não desaparecem, nem se subtraem: eles se somam e se acumulam. E tem efeitos sobre a vida marinha. Basta lembrar dos encalhes de baleias e golfinhos, cujos sistema de navegação pode ser afetado pela poluição. Ou recordar a triste figura das aves cobertas de petróleo, debatendo-se como mortas-vivas. Ou analisar o grau de contaminação dos peixes de mangues, junto a aglomerações humanas, que, apesar de acumularem metais pesados, derivados de petróleo ou vetores de doenças, continuam sendo consumidos, diante da falta de opção de boa parte da população.

  • Rua Maria Luiza Gonzaga, nº 217, Ano Bom - Barra Mansa / RJ - CEP: 27.323-300
  • +55 24 97403-2849 e +55 24 3323-0224