Produção de Águas – Protegendo Nascentes

A riqueza de uma área produtiva de folhosas como o Distrito de Santa Rita de Cássia em Barra mansa não está apenas no que se planta, no que se colhe ou se produz, está também no que existe, naturalmente nas suas nascentes.

E uma das coisas mais valiosas que uma área pode ter é uma nascente d’água, com águas límpidas e constantes. Mas ter esta vantagem exige cuidados, já que o recurso está cada vez mais escasso mesmo as nascentes sendo protegidas por lei. Quando buscamos a parceria com a Prefeitura Municipal de Barra Mansa e a ideia foi comprada imediatamente pelo prefeito Jonas Marins, idealizamos o projeto “Produção de Águas”, tivemos o cuidado de mapear e geo - referenciar toda a área onde encontramos 102 nascentes, E agora, o que fazer? pois que precisávamos de proteger a nascente sem afetar a área produtiva, já que é dali que os produtores rurais tiram o sustento da família.

Como é área produtiva de folhosas não necessita de cercamentos, já que não há intervenção de animais no local, dessa forma o próprio plantio é a proteção da nascente, fizemos de forma que o produtor rural assumisse os cuidados de manutenção do local plantado, assim o comprometimento para o sucesso da empreitada ficou garantido. Preservamos já 36 nascentes na primeira fase e agora na segunda fase jé foram escolhidas mais 29 nascentes em mais doze propriedades.

É preciso lembrar que produzimos água em afluentes na bacia do Rio Paraíba do Sul, desta forma buscamos aumentar o volume deste importante Rio que vem garantir o abastecimento na Região metropolitana da cidade do Rio de Janeiro, pois, que a água é captada na barragem de Santa Cecília em Barra do Piraí, onde alimenta o Rio Guandu e a maior estação de tratamento de águas do mundo, fica claro que se o Rio Paraíba do Sul morrer o povo do estado do Rio de janeiro também morrerá de sede, não tem plano “B”, temos que reflorestar a montante deste Rio com muita urgência.

Eduardo Wernech

Presidente da OSCIP Piratingauna

Jornalista – Mtb/srte/RJ-749633

 

Encontro Verde das Américas, o “Greenmeeting”

Acontecerá nos dias 29 e 30 de setembro de 2015, na capital federal de Brasília DF, o XIV Encontro Verde das Américas, o “Greenmeeting”, importante e concorrido Fórum que reunirá lideranças nacionais e internacionais sobre meio ambiente e desenvolvimento sustentável, tanto governamental quanto não governamental, que entre outros acontecimentos, se dará a entrega do Premio Verde das Américas 2015. O Encontro sem vinculo político partidário busca contribuir para as soluções dos grandes problemas sócio-ambientais que dificultam o desenvolvimento econômico, melhorando a qualidade de vida das comunidades locais e globais. Uma vez que a exploração inadequada dos recursos naturais demandado por hábitos predatórios de consumo está comprometendo o desenvolvimento humano, ambiental e econômico da população da terra.

Inscrições no site: www.greenmeeting.org

Plantio de sucesso... É preciso reflorestar para a água voltar.

Trata-se das atividades realizadas da 1ª Manutenção conforme cronograma previsto e realizada no mês Maio de 2015. O Plantio foi sucesso absoluto. O serviço de tratos culturais em marca a primeira intervenção de manutenção da área, atividades como controle da “mato–competição, coroamento e controle de formiga são realizadas rotineiramente conforme o previsto e o acompanhamento da área através das vistorias periódicas visa evitar imprevistos e detectar possíveis focos de formiga.A área foi percorridas em sua totalidade e verificadas as condições de desenvolvimento, bem como os tratos culturais efetuados.

O controle do mato competição traz ótimos resultados para o desenvolvimento geral das mudas garantindo inclusive uma excelente condição para a regeneração natural que irão aparecer ao longo do tempo, serão repostas (Replantio) de menos de 4 % do plantio inicial, houve sucesso em torno 96 % do plantio original, as técnicas desenvolvidas é motivo de orgulho desde a semeadura até a rustificação das plantas que serão usadas.O grande objetivo do projeto foi contemplada em sua totalidade nos pontos indicados pelo termo de referência e o desenvolvimento encontra-se heterogêneo devido as condições edáficas da “gleba” de solo conforme o crescimento natural de uma floresta. Pontos com maior condição de umidade e/ou melhores condições de solo são favorecidos no que diz respeito ao desenvolvimento das mudas e a prevê futuramente a “exuberância da floresta”.O local recebeu cercamento com tela e traduz as boas condições para prevenção e proteção contra incêndios florestais.

 

"Produção de Águas" no Distrito de Nossa Senhora do Amparo

MAIS UMA ETAPA CONCLUÍDA DO PROJETO "PRODUÇÃO DE ÁGUAS", DESTA FEITA FOI REALIZADA A DÉCIMA SEGUNDA EDIÇÃO, SENDO A PROPRIEDADE LOCALIZADA NO DISTRITO DE NOSSA SENHORA DO AMPARO, DENOMINADA DE SÍTIO DO SOSSEGO, CUJO PROPRIETÁRIO E O SENHOR BENEDITO DE OLIVEIRA (DITO).

Vale ressaltar que estiveram presentes os membros da comunidade de produtores rurais que participaram ativamento do processo de plantio e se propuseram a cuidar das plantas. Tivemos presença de representantes do CONDEMA, do Sr. Roberto Beleza, Secretário Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural, do Secretário de Meio Ambiente Dr. Mário Branco (Marinho), da primeira dama e Secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Maria José César, recebemos os alunos e professores da Escola Municipal de Amparo, bem como a representação de diversas outras secretarias.

As atividades do projeto denominado Produção de Águas, continuam nos próximos dias, segundo o cronograma de atividades e após a assinatura de Termo Aditivo prorrogando por mais 12 meses o Termo de Parceria referente ao processo 1182/2013, já aprovado pelo CONDEM. Os plantios desta segunda etapa do projeto, ocorrerá em nascentes que se encontram no distrito de Santa Rita de Cássia já selecionadas em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura em vista de buscar a eficiência na recuperação florestal naquela importante região de produção de folhosas.

 

Plantio de espécies nativas as Margens do Rio Paraíba do Sul em parceria com a FIRJAN e a OSCIP - Piratingaúna

Neste dia 25 de março em face do II Encontro da Indústria Sul Fluminense, realizado na manhã de hoje em Barra Mansa, teve como tema o reuso de água e o reflorestamento. O evento discutiu ações sustentáveis que necessitam ser adotadas pelas grandes empresas e municípios. Para abrir o evento foi plantada uma muda nativa da espécie Pau Brasil, pelo presidente do sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, do presidente da Firjan/CIRJ no Sul Fluminense, Edvaldo de Carvalho, o Fafal, e do prefeito de Barra Mansa, Jonas Marins, como apoio da Bióloga e Gerente de Horto Reflorestamento da Prefeitura de Barra Mansa, Valéria de Almeida, esteve presente também o Secretário de Meio Ambiente Marinho Branco, o evento contou também com plantio de espécies nativas as Margens do Rio Paraíba do Sul em parceria com a OSCIP - Associação Ecológica Piratingaúna e a FIRJAN, tendo o apoio da coordenadora de Meio Ambiente da Regional Firjan Rogéria Maroclo, foi muito gratificante a presença dos alunos e professoras do SESI e demais autoridades que prestigiaram o evento.

Produzir água e reflorestar é o foco, não tem plano "B"

Este plantio foi realizado na propriedade da empresa LOG SPE ITATIAIA LTDA, a Área de Plantio com aproximadamente 10.000 m2, correspondente a 01 ha, o total estimado de mudas foram 2.000 mudas, o empreendimento encontra-se na Rodovia Presidente Dutra, Km 312, Sentido São Paulo – Rio de Janeiro, tendo como executores a OSCIP- Associação Ecológica Piratingaúna e a M. Medeiros Consultoria Ambiental Ltda, Alem da logística da Empresa parceira K i- florestas e o Responsável Técnico foi o Engenheiro Florestal Edson de Medeiros Oliveira, as atividades foram realizadas nos dias 10, 11 e 12 Fevereiro de 2015. Os serviços de tratos culturais foram feito com o trabalho de coroamento, (berços) coveamento 30x30x30 e consequentemente o plantio das 2000 mudas distribuídas quantitativamente por 40 espécies de nativas de mata ciliar e frutíferas da Mata Atlântica. Optamos por um plantio que fosse realizado adensado com espaçamento de 2,5 x 2,5 mts, foram utilizados 1,5 litros de hidrogel por cada muda e a proporção de 140 gramas de NPK – 4-14-8. Ações como esta é que faz com que a Mata Atlântica seja recuperada, pois neste local existe uma nascente que com certeza será beneficiada pela proteção que foi estabelecida no local, é assim que faremos a água voltar, não existe Plano “B' ou recupera-se as nascentes ou vamos morrer de sede, não se iludam, é preciso incentivar as ações de economia de água, as ações de de Educação Ambiental também importantes, mas sem o reflorestamento é como malhar em ferro frio.

  • Rua Maria Luiza Gonzaga, nº 217, Ano Bom - Barra Mansa / RJ - CEP: 27.323-300
  • +55 24 97403-2849 e +55 24 3323-0224